O cenário atual parece convergir para uma retomada da economia e o sonho da casa própria volta a animar o consumidor.

 

Juros em queda, aumento nos índices de confiança do consumidor e da indústria, desinflação, melhora na capacidade produtiva das empresas. Estas são algumas das notícias positivas que nos levam a antever uma melhora também no mercado imobiliário.

Acreditamos que a hora é boa para comprar e deve melhorar. Para quem está procurando um novo imóvel, este é um momento propício para a compra.

O imóvel pode ser visto sob 2 aspectos:

  1. Como uma alternativa de moradia e
  2. Uma opção de investimento.

Vamos analisar as vantagens de cada um deles.

No caso de imóvel para moradia, existem 2 opções: o imóvel usado e o imóvel na planta.

No caso do usado, ele costuma ter um preço mais em conta e tem como maior atrativo o fato de estar pronto, ou seja, a mudança tende a ser bem mais rápida.

Deve-se considerar o estado atual do imóvel e avaliar a necessidade de pequenas reformas e fazer um comparativo da relação custo benefício entre o valor de uma pequena obra x custo efetivo do imóvel.

Outra vantagem é o fato de construções antigas terem uma metragem maior em relação aos novos imóveis que estão sendo construídos.

Deve-se contratar uma imobiliária de sua confiança para uma detalhada análise da documentação do imóvel pretendido para ver se o mesmo se encontra totalmente desimpedido de questões fiscais, condominiais e outras pendencias.

Para a compra de um imóvel na planta ou em fase construção, os principais benefícios são:

– Maior facilidade de negociação uma vez que as construtoras estão com altos estoque de remanescentes e fazendo promoções em suas unidades.

– Você terá a garantia de comprar um imóvel com instalações novas e modernas.

– Um tempo maior de planejamento para seu fluxo financeiro ao longo do período de obras.

– Algumas construtoras aceitam pequenas modificações em projetos ou especificações de acabamento, sem custos adicionais. Ou seja, você tem a oportunidade de comprar um imóvel que “tem a sua cara”.

Mas devem ser tomadas algumas precauções:

– Comprovar a idoneidade da construtora e exigir o memorial de incorporação registrado.

– Contratar uma imobiliária de confiança para análise de toda a documentação, inclusive as planilhas financeiras de desembolso de pagamento durante a construção e os reajustes previstos ao longo do contrato.

– Verifique junto à sua imobiliária maiores informações da construtora a ser contratada: seu portfolio de obras entregues, solidez financeira, qualidade e pontualidade, transparência e relacionamento com o consumidor.

– Avaliar as opções de financiamento disponíveis para o pós -chaves e as taxas praticadas pelas instituições financeiras.

Como uma opção de investimento, além de imóveis para locação, as salas comerciais estão voltando a ser uma alternativa.

Aqui, também vale a máxima de usar os serviços de uma imobiliária de sua confiança. Ela será responsável por alguns procedimentos de rotina, visando resguardar seus direitos de proprietário. Além disso, ela poderá lhe auxiliar a fazer uma avaliação de mercado para definir o valor do aluguel, índice de liquidez e valorização patrimonial. A imobiliária irá verificar o cadastro do inquilino e do fiador e elaborar um contrato. Todas as cobranças serão feitas por ela: aluguel, seguro, condomínio, IPTU, água e energia. Em caso de rescisão de contrato, são feitas vistorias e uma checagem dos pagamentos, para que o imóvel seja novamente liberado para locação.

Bom, qualquer que seja seu perfil – compra para moradia ou investimento, o momento volta a tornar o mercado atraente.

E lembre-se: oportunidades perdidas nunca mais voltam.

 

 

Recommend