Para 65% dos brasileiros, equilíbrio entre vida pessoal e profissional é bom

Levantamento do Viva Real mostra que 34% trabalham em horário flexível e 15% contam com benefícios do home office.

O equilíbrio entre vida pessoal e profissional é um objetivo buscado por inúmeros moradores dos grandes centro brasileiros, esse fator está diretamente ligado com a sensação de satisfação de cada indivíduo. Com intuito de detalhar a qualidade de vida brasileira, o Viva Real, empresa do Grupo ZAP, elaborou a pesquisa “Mapa da Qualidade de Vida 2018 – Viva Real”, que entrevistou moradores* de 12 capitais** do país para decifrar diversos tópicos relacionados ao tema. Ao todo, as capitais representam 28% do PIB brasileiro.

Para 65% dos respondentes, o equilíbrio entre vida pessoal e profissional foi avaliado com notas de 7 a 10, resultando em 6,3 como nota média. O residentes nas capitais São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte indicaram nota média 6,2, já Porto Alegre e Curitiba parecem mais satisfeitos quanto a esse tópico e indicaram notas médias 6,4 e 6,8, respectivamente.

Dentro da pesquisa é possível realizar uma análise por idade, renda e gênero. Pessoas com idade de 18 a 34 anos avaliam o equilíbrio da vida pessoal e profissional em 6,2, já com idade de  35 a 54 anos em 6,3 e de 55 anos ou mais com nota 6,6.

Em relação ao modelo atual de trabalho, menos de 20% dos respondentes apontaram fazer uso de home office (trabalhar em casa) e coworking, modelo de trabalho que se baseia no compartilhamento de espaço e recursos de escritório, reunindo pessoas que trabalham não necessariamente para a mesma empresa.

Os modelos tradicionais de trabalho (com horário fixo e flexível) ainda são os mais praticados em todas as cidades: 53% das pessoas trabalham em horário padrão, 34% em horário flexível, 15% em home office e 2% coworking.

Para a Gerente de Inteligência de Mercado do Grupo ZAP, Cristiane Crisci, é importante observar a satisfação das pessoas em relação ao equilíbrio entre vida pessoal e profissional, e o crescimento de novos modelos de trabalho em alguns estados. “A pesquisa mostrou que grandes cidades já adotam horário de trabalho flexível e home office, o que contribui para melhorar a qualidade de vida de seus colaboradores”, finaliza.

 

Recommend