INFLAÇÃO DO ALUGUEL DESACELERA E DÁ SINAIS DE QUE PODE VOLTAR À NORMALIDADE

Depois de se tornar o vilão das negociações de aluguel durante a pandemia, o IGP-M vem demonstrando sinais claros de desaceleração. O índice terminou o mês de abril com alta de 1,41%, resultado 0,33 ponto percentual inferior ao registrado em março. Além disso, o acumulado do primeiro quadrimestre é de 6,98%, valor menor que o do mesmo período do ano passado.

A inflação do aluguel está voltando ao normal? Para parte do mercado, sim. A leitura se deve ao encurtamento da distância entre o IGP-M e a inflação oficial (IPCA) acumulada em 12 meses – 14,66% contra 12,03%, respectivamente. Vale lembrar que, há um ano, o IGP-M superou os 30% na alta acumulada.

Como a renda do brasileiro não é capaz de acompanhar tantas altas, muitos inquilinos dependem da negociação para poder honrar o pagamento do aluguel. Em alguns casos, o uso de outros índices é o melhor caminho para buscar fechar a conta, como ocorreu com o IPCA, amplamente adotado após a chegada da pandemia e a explosão do IGP-M.

Mas, afinal, qual o melhor índice para calcular o reajuste do aluguel? Na opinião de Jaques Bushatsky, colunista do Imobi Report, nenhum deles é melhor ou pior, cada um é mais adequado para determinadas situações.

Recommend